Determinação do reagente limitante

Exemplificando...

Enunciado: Considere-se a reacção de síntese de amoníaco, a partir de azoto e hidrogénio, traduzida pela seguinte equação química:

N2(g) + 3 H2(g)→ 2 NH3(g)

Esta equação diz-nos que uma mole de N2 reage com três moles de H2, produzindo duas moles de NH3.

Resolução: Considerando que se adicionam vinte moles de H2 a quatro moles de N2, vamos determinar qual dos reagentes é limitante, isto é, qual dos reagentes vai limitar a formação do produto. Uma vez que por cada mole de N2 reagem 3 moles de H2, o número de moles de H2 necessário para reagir com quatro moles de N2 é

Conclusão: Como o número de moles de H2 disponível (20 moles) é superior ao número de moles necessário para reagir com o N2 (12 moles), pode concluir-se que o H2 se apresenta em excesso e que o N2 é o reagente limitante.

Relativamente à quantidade de NH3 produzida, esta depende da quantidade de N2 presente inicialmente. Neste caso, e como para cada mole de N2 se formam duas moles de NH3, formar-se-iam (se a reacção fosse completa e não ocorressem reacções secundárias que consumissem alguma das espécies envolvidas) oito moles de NH3.

Copyright - Instituto Superior Técnico. Reprodução proibida
Paginas 1 2

  

Mapa do site

Termos de Utilização

© 2016 Prime Consulting, SA. Todos os direitos reservados